sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Onde está o Vandalismo?

Andar pelas Ruas de São Paulo é um convite a interpretar as mais diversas  formas de interação artística e muitas vezes ideológicas. Quem olha uma cena como a imagem ao lado, dependendo de o quanto conservadora seja, vê, e apenas define de imediato que é obra de  um vândalo as grafias "pixo" da parede, e não se dá conta que uma o vandalismo pôs abaixo o orelhão, e que o poder público deixou o mesmo estendido  na calçada por dias e dias, que eu tenha contado uns 7 dias.

Sociedade? Onde mesmo está o Vandalismo? Não que eu considere os "pixos" da parede "vandalismo" muito pelo contrário, elas tem a sua importância quando falamos de expressão e principalmente quando falamos de rua e arte.

Estamos cada dia pior, quando andamos na rua e a arte, dentre elas a arte de rua é a única saída para aliviar o vandalismo nosso de cada dia com expressões que para alguns não passam de vandalismo e para outros é uma forma de expor o que pensa e algo que está preso e  precisa ser gritada de alguma forma, encare você como vandalismo ou como a sua consciência e orientação determinar, chocar e gerar discussão é um dos focos.




Postar um comentário